quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Pesca do bacalhau - Figueira da Foz - 1931-1940


Os bacalhoeiros da Figueira da Foz
3ª Parte
Navios novos ou que sofreram alteração de nome ou registo

Lugre “ Ana Primeiro “
1935-1950

O lugre "Ana Primeiro" - postal da Companhia
Imagem (c) minha colecção

Armador : Soc. de Pesca Luso-Brasileira, Lda., F. da Foz
-----------------
Nº Oficial : B-263 > Iic.: C.S.J.Y. > Registo : Figueira da Foz
Construtor : Nils Fremberg, Ornavik, Suécia, 1918
ex “Erika”, Nils Fremberg, Ornavik, Noruega, 1918-1935
Tonelagens : Tab 274,94 to > Tal 191,54 to > 4.797 quintais
Cpmts.: Ff 38,02 mt > Pp 37,34 mt > Bc 8,67 mt > Ptl 3,41 mt
Máquina : Skandia, Suécia, 1917 > 1:Sd > 130 Bhp > 7 m/h
Equipagem : 40 tripulantes
Capitães embarcados : João de O. Manata (1935 e 1936), Leonel Nunes d’Oliveira (1939) e José Maria de Matos (1940)
Naufragou devido a incêndio durante a pesca no Virgin Rocks, Terra Nova, em 09.08.1950

Lugre “ João José Segundo “
1933-1942

Armador : Soc. de Pesca Luso-Brasileira, Lda., F. da Foz
-----------------
Nº Oficial : B-271 > Iic.: C.S.M.P. > Registo : Figueira da Foz
Construtor : António Maria Bolais Mónica, F. da Foz, 1923
ex “João José”, Soc. Pesca Luso-Brasileira, Lda., 1923-1933
Tonelagens : Tab 262,53 to > Tal 204,57 to > 4. 000 quintais
Cpmts.: Ff 46,61 mt > Pp 39,41 mt > Bc 9,60 mt > Ptl 3,76 mt
Máquina : Skandia, Suécia, 1937 > 1:Sd > 130 Bhp > 9 m/h
Equipagem : 43 tripulantes
Capitães embarcados : -?-
Passou ao serviço comercial em 1942. Foi posteriormente rebaptizado “S. Judas Tadeu”, naufragando com água aberta em finais da década de 50, quando em viagem de Benguela e Lobito para Cabinda.

Lugre-escuna “ João Miguel “
1935-1939

Armador : Empresa Figueirense de Pesca, Lda., F. da Foz
-----------------
Nº Oficial : B-261 > Iic.: C.S.G.V. > Registo : Figueira da Foz
Cttor.: A. Thorstensen, Cristiansand, Noruega, 1894
ex “Solstreif”, O.A.T. Skjelbred, Cristiansand, 1894-1906
ex "Pescador", Soc. Figueirense de Pesca, 1906-1935
Tonelagens : Tab 267,83 to > Tal 218,79 to
Comprimentos : Pp 37,74 mt > Bc 8,10 mt > Ptl 3,44 mt
Máq.: Recebeu motor em 1936 - (detalhes indisponíveis)
Equipagem : (x) tripulantes
Capitães embarcados : Francisco Paulo do Bem (1935), Manuel Francisco Chula (1937)
Sem rasto após 1939.

Lugre “ José Alberto “
1935-1968

O lugre "José Alberto" em Lisboa - foto de autor desconhecido
Imagem (c) minha colecção

Armador : Sociedade de Pesca Oceano, Lda., F. da Foz
---------------
Nº Oficial : B-274 > Iic.: C.S.H.H. > Registo : Figueira da Foz
Construtor : H. C. Christensens, Warstre, Dinamarca, 1923
ex “Caroline”, Red. Damp-Og Seilskibs A/S, Marstal, 1923-1935
Tonelagens : Tab 687,21 to > Tal 442,99 to > 11.061 quintais
Cpmts.: Ff 59,90 mt > Pp 55,03 mt > Bc 9,87 mt > Ptl 3,49 mt
Máquina : Deutz, Alemanha, 1937 > 2:Di > 480 Bhp > 10 m/h
Equipagem : 69 tripulantes
Capitães embarcados : João de Deus (1935 a 1939)
Naufragou devido a incêndio durante a pesca no Virgin Rocks, Terra Nova, em 1968

Lugre “ Lusitânia 3º “
1934-1945

O lugre "Luzitânia 3º" - Foto de autor desconhecido
Imagem (c) colecção Napesmat, Matosinhos

Armador : Lusitânia – Comp. Portuguesa de Pesca, F. da Foz
---------------
Nº Oficial : B-263 > Iic.: C.S.J.Y. > Registo : Figueira da Foz
Construtor : José da Silva Lapa, Vila Nova de Gaia, 1919
ex “Luzitânia”, Lusitânia – Cª. Port. Pesca, F. Foz, 1919-1934
Tonelagens : Tab 318,94 to > Tal 225,72 to > 5.736 quintais
Cpmts.: Ff 45,28 mt > Pp 39,07 mt > Bc 9,30 mt > Ptl 3,78 mt
Máquina : Sulzer, Suiça, 1931 > 1:Di > 100 Bhp > 7 m/h
Equipagem : 45 tripulantes
Capitães embarcados : Fernando Matias Lau (1934), João dos Santos Grilo (1935 a 1937) e João Francisco Grilo (1938 a 1940)
Efectuou a última campanha em 1945. Foi depois transformado em navio motor, alterando o nome para “Terra Nova”.

Lugre “ Maria Preciosa “
1936-1944

O lugre "Maria Preciosa" - Foto de autor desconhecido
Imagem (c) colecção Napesmat, Matosinhos

Armador : Mariano & Silva, Lda., Figueira da Foz
---------------
Nº Oficial : B-267 > Iic.: C.S.M.O. > Registo : Figueira da Foz
Construtor : Manuel Maria Bolais Mónica, F. da Foz, 1925
ex “São Paulo Primeiro”, Soc. de Pesca Amizade, 1925-1936
Tonelagens : Tab 305,30 to > Tal 213,32 to > 5.462 quintais
Cpmts.: Ff 45,93 mt > Pp 39,22 mt > Bc 9,08 mt > Ptl 4,01 mt
Máquina : Mak, Alemanha, 1936 > 1:Di > 220 Bhp > 9 m/h
Equipagem : 48 tripulantes
Capitães embarcados : Manoel Ignácio Gaya (1936 a 1940)
Naufragou como resultado de colisão com ilha de gelo, em 1944, quando em viagem para a Gronelandia.

Lugre “ San Jacinto “
1937-1950

O lugre "San Jacinto" em Lisboa - foto de autor desconhecido
Imagem (c) minha colecção

Armador : Empresa de Pesca São Jacinto, Lda., F. da Foz
----------------
Nº Oficial : B-270 > Iic.: C.S.K.M. > Registo : Figueira da Foz
Cttor.: J. Dias Ministro, Pardilhó, lançado à água 08.05.1920
ex "Encarnação", Bagão & Ribaus, Lda., Aveiro, 1920-1927
(Este navio afundou-se na ria de Aveiro, após colisão com o lugre "Senhora da Conceição", em 13.11.1927, tendo sofrido um grande rombo no casco e ficando destruída parte da amura).
Reconstruído por Manuel Maria Bolais Mónica, Gafanha, 1932
ex “Gafanhoto”, Manuel M. Bolais Mónica, Aveiro , 1932-1934
ex “San Jacinto”, EPA - Empresa Pesca de Aveiro, 1934-1937
Tonelagens : Tab 247,90 to > Tal 192,11 to > 4.600 quintais
Cpmts.: Ff 42,20 mt > Pp 35,77 mt > Bc 8,60 mt > Ptl 4,03 mt
Máquina : Guldner, Alemanha, 1934 > 1:Di > 120 Bhp > 8 m/h
Equipagem : 40 tripulantes
Capitães embarcados : João Fernandes Matias Jr. (1937 a 1938), António S. Carrancho (1939 e 1940)
Naufragou com água aberta no Virgin Rocks, Terra Nova, em 09.08.1950

9 comentários:

Ana Maria Lopes disse...

Admiro a sua criteriosa pesquisa e, a mim, tudo quanto é "bacalhoeiro" e ainda mais com imagem, fascina-me.

Ricardo Matias disse...

Pena o José Alberto ter ardido, hoje podia ainda andar por aí, já que todos os outros lugres com casco em aço sobreviveram.

Ricardo Matias

reimar disse...

Caros amigos !
Grato pelos comentários.
Todos temos certamente opinião em função da beleza, estética e linhas destes antigos navios bacalhoeiros.
Por isso defendo, através das várias imagens recolhidas do navio, que este "José Alberto" terá sido o navio mais bonito que integrou a frota nacional. Seria hoje e talvez por muitos anos um extraordinário navio escola, para a marinha, para as pescas, para levar gente a conhecer e valorizar o mar. Porque tinha fundo chato, bolinava melhor do que avançava, mas mesmo assim é triste saber que para ser afundado, mesmo depois de destruído pelo fogo, houve que lhe
abrir um buraco no casco. E mais não disse...
Os meus cumprimentos, Reimar

J.pião disse...

Nunca julguei encontrar lindas recordações de lindos lugres e navios motores ,que maravilha para os meus olhos ver estas fotografias,estou como os Sres ,eu que conheci bém o José Alberto ,reconheço que éra dos mais belos da frota ,por tudo isto muito obrigado por este lindo blog .Saudações maritimas a todos...Jaime Pontes...

Diana Goncalves disse...

Ola, chamo-me Diana e vivo nos Estados Unidos. A muito tempo que andava a pensar fazer uma pesquisa genealogica sobre a minha familia. Finalmente esta semana decidi-me a comecar o trabalho. Queria saber mais informacao sobre o meu bis-avo que e natural da Cova-Gala, Figueira Da Foz, e pensei pesquisar o nome dele e a cidade na google. Nunca pensando que ia encontrar nada. Imagine a minha surpresa quando encontrei a cedula maritima com bastante informacao sobre ele e familia. Aonde tambem constava todos os navios aonde trabalhou, incluindo o ultimo aonde acabou por desaparecer no mar durante uma viagem a pesca do bacalhau. Comecei entao a pesquisar o nome dos navios, "Ana Primeiro" em 1936, "Santa Maria Manuela" em 1947 e finalmente "Maria Carlota" 1938-1941. Todas as minhas pesquisas me levaram a este blog. O meu muito obrigado por manter este blog para pessoas como eu poderem saber algumas informacoes dos nossos antepassados. Vi tambem fotografias dos tres navios, o que foi bastante emocionante para mim, principalmente a foto do navio Maria Carlota, aonde o meu bis-avo acabou por falecer afogado. Gostaria imenso de saber se existe alguma forma de eu obter uma copia dessas fotografias. O meu email e
dafoz98@msn.com

armando santos disse...

SOLSTREIF/ PESCADOR/ JOÃO MIGUEL/ TORRADO
Que grande confusão!!!
Consultando as fichas do Grémio dos Armadores de Navios da Pesca do Bacalhau (registo de matrículas entre 1936 e 1960) disponíveis no site do Museu marítimo de Ílhavo constata-se que:
- O navio “Pescador” aparece como tendo exercido em 1938 e 1939.
- Em duas exceções constam matrículas relativas a 1936 e 1937. Engano?

-O navio “João Miguel” consta apenas em 1936 e 1937.
Não podendo atribuir certezas, contrastando com documentação que deveria ser fiável, como por exemplo os registos da Lloyds, diria que a escala cronológica que se poderia atribuir a este navio poderia ser escalonada deste modo;

SOLSTREIF 1894/1905 O. A. T. Skjelbred Christiansand, S.
PESCADOR 1906/1933 Sociedade Figueirense de Pesca, Lda. (A. Santiago) Figueira da Foz
JOÃO MIGUEL 1934/1937 Sociedade Além-Mar, Lda. Lisboa
PESCADOR 1938/1939 Empresa Figueirense de Pesca, Lda. Figueira da Foz
TORRADO 1940/ (1945) ?? Parceria de Navios “A. Frete, Lda.” Lisboa

Será que alguém poderá atestar ou contestar a lista com fundamento válido e documentado? Fica á atenção dos entusiastas dos nossos veleiros bacalhoeiros.
Um grande bacalhau para todos.
Att.
Armando Santos

reimar disse...

Sr Armando Santos,
Estou-lhe muito grato pelo seu comentário.
Em primeiro lugar, como por certo entenderá, tentei dar a conhecer os navios que compunham a frota de bacalhoeiros, desde 1900,
localizada em alguns portos, porque essa informação não estava disponível.
Entretanto fui referindo alguns navios da frota do Porto, mas não fiz ainda um estudo em pormenor, que aguarda melhor oportunidade.
Do mesmo modo, um outro estudo sobre os navios de Aveiro já está praticamente terminado, mas não existe da minha parte intenção de publicá-lo no blog.
Porque não fiz nenhuma consulta às fichas do Grémio, haverá detalhes que terão escapado nesta primeira relação.
Para uma futura correção sobre os elementos publicados anteriormente fico a aguardar o seu contacto, via email, para eventualmente justificar a procura nos registos do Lloyd's e do Bureau Veritas dessa época, que existem, ou outros, para aclarar o histórico do navio, como pretende.
Muitos cumprimentos,
Reinaldo Delgado

Joel Inácio disse...

Depois de ler este seu apontamento senti a necessidade de informar: Toda a documentação onde consta as fichas dos navios bacalhoeiros, assim como respectivas tripulações matriculadas foram enviadas via comissão liquidatária CRCB e Grémio N.P. Bacalhau, para o Museu Marítimo de Ílhavo e Aquários dos Bacalhaus Assim, actualmente, este Museu tem o espolio histórico/documental da pesca do bacalhau, que fora pretensa do Grémio do Bacalhau.

reimar disse...

Relativamente ao comentário do sr. Joel Inácio, que agradeço, quero informá-lo que faço parte do Grupo de Amigos do Museu de Ílhavo, que visito com alguma regularidade. Quero igualmente dizer-lhe ter conhecimento da documentação existente no Museu - Ciemar, cuja origem remonta ao ano de 1936, data da criação do Grémio.
Porém, caso não tenha reparado, tenho vindo a escrever sobre a frota bacalhoeira desde 1900, o
que significa estar à divulgar informações que antecedem em 34 anos a criação do citado Grémio.
Cumprimentos,
Reinaldo Delgado