sábado, 10 de janeiro de 2009

Pesca do bacalhau - Figueira da Foz - 1921-1930


Os bacalhoeiros da Figueira da Foz
3ª Parte
Navios novos da frota Figueirense

Iate “ Cabo Espichel “
1921-1929

Armador : Sociedade José Sottomayor & Cª., Lda., F. da Foz
---------------
Nº Oficial : A-288 > Iic.: H.C.E.S. > Registo : Figueira da Foz
Cttor.: António B. Mónica, Cabedelo, lançado à água 15.12.1918
ex “Cabo Espichel”, Soc. Port. Navegação, F. Foz, 1918-1921
Tonelagens : Tab 177,10 to > Tal 150,41 to
Comprimentos.: Pp 33,73 mt > Boca 6,72 mt > Pontal 3,46 mt
Máquina : Não tinha motor auxiliar
Equipagem : (x) tripulantes
Capitães embarcados : João de Oliveira (1925)
Naufragou após encalhe na costa próximo a Portimão, em Dezembro de 1929, quando em viagem para o Porto.

Lugre “ Amisade “
1923-1940

O lugre "Amizade Primeiro" ex lugre "Amisade" em Leixões
Imagem (c) Fotomar, Matosinhos

Armador : Sociedade de Pesca Amizade, Lda., Figueira da Foz
----------------
Nº Oficial : A-280 > Iic.: H.A.M.I. > Registo : Figueira da Foz
Cttor.: António M. Mónica, Murraceira, lançado à água 16.11.1921
ex “Amisade”, Mónica & Cª., Lda., Figueira da Foz, 1921-1922
Tonelagens : Tab 170,16 to > Tal 133,92 to
Comprimentos : Pp 33,26 mt > Boca 8,53 mt > Pontal 3,22 mt
Equipagem : (31) tripulantes
Máquina : Não tinha motor auxiliar
Capitães embarcados : Luiz Maria Joaquim Pata (1923), Manoel Ignácio Gaya (1924), José Augusto Ramos (1925), João N. d’Oliveira (1926 e 1927), António Augusto Marques “o Marcela” (1928), José dos Santos Bodas (1929) e Manuel Pires (1930)
Vendido à Empresa de Navegação Amizade, Lda., de Faro, em 1940, alterou o registo para Faro e mudou o nome para “Amizade Primeiro”.

Lugre “ Trombetas “
1923-1948

O lugre "Trombetas" (2º) - foto de autor desconhecido

Armador : Lusitana - Comp. Port. de Pesca, Lda., F. da Foz
----------------
Nº Oficial : A-283 > Iic.: H.T.B.E. > Registo : Figueira da Foz
Cttor.: Domingos Carlos Ferreira, Fão, lançado à água 09.1922
ex “Deolinda”, Joaquim F. Abrantes, Aveiro, 1922-1923
Tonelagens : Tab 251,83 to > Tal 195,50 to
Cpmts.: Ff 49,95 mt > Pp 45,00 mt > Bc 8,89 mt > Ptl 3,88 mt
Máquina : Não tinha motor auxiliar
Equipagem : (42) tripulantes
Capitães embarcados : João da Silva Peixe (1923), João Simões C. Redondo (1924 a 1928) e José Maria Joaquim Pata (1929 e 1930)
Desmantelado no Seixal.

Lugre " Maria Domingas "
1923 - 1925

Armador : Domingos Euzébio da Fonseca, Figueira da Foz
---------------
Nº Oficial : A-282 > Iic.: H.M.D.G. > Registo : Figueira da Foz
Cttor.: Soc. Portuguesa de Navegação, Figueira da Foz, 1923
ex "Cabo de São Vicente", Soc. Port. Navegação, 1923-1923
Tonelagens : Tab 282,60 to > Tal 216,29 to
Comprimentos.: Pp 41,27 mt > Boca 9,55 mt > Pontal 3,85 mt
Máquina : Não tinha motor auxiliar
Equipagem : (x) tripulantes
Capitães embarcados : José Fernandes Pereira Júnior (1923), M.M. da Silva Paião (1924 e 1925)
Vendido em 1926 à Sociedade Arruda, Camelo & Silva, Lda., alterou o registo para Lisboa (Nº Oficial 500-E) e mudou o nome para "Bretanha". Vendido à Sociedade de Navegação e Pesca, Lda., em 1929, manteve o mesmo nome mas alterou o registo para a Figueira da Foz.

Lugre “ Neptuno “
1925-1929

Armador : Sociedade de Pesca do Bacalhau, Lda., F. da Foz
----------------
Nº Oficial : A-292 > Iic.: H.N.E.U. > Reg.: Figueira da Foz
Cttor.: J. José Honrado, S. Martinho do Porto, 1922
ex “Neptuno”, Comp. Nac. Pesca e Transp., F. Foz, 1922-1925
Tonelagens : Tab 333,06 to > Tal 248,45 to
Comprimentos.: Pp 44,50 mt > Boca 9,10 mt > Pontal 3,80 mt
Máquina : Não tinha motor auxiliar
Equipagem : (43) tripulantes
Capitães embarcados : José Maria Joaquim Pata (1925 a 1928)
Vendido à Empresa de Pesca de Viana em 1929, altera o registo para Viana do Castelo e muda o nome para “Santa Luzia”.
Naufragou no Banco de St. Pierre, Terra Nova, em 1936, por ter sido abalroado pelo lugre “Infante de Sagres”.

Lugre-escuna “ Santiago “
1925-1930

Armador : Sociedade Figueirense de Pesca, Lda., F. da Foz
---------------
Nº Oficial : A-290 > Iic.: H.S.T.G. > Registo : F. da Foz
Construtor : N. F. Hansen, Odense, Dinamarca, 1902
ex “Rise”, Hans Petersen, Marstal, Dinamarca, 1902-1925
Tonelagens : Tab 199,81 to > Tal 158,66 to
Comprimentos : Pp 34,38 mt > Boca 8,17 mt > Pontal 3,68 mt
Máquina : Não tinha motor auxiliar
Equipagem : (x) tripulantes
Capitães embarcados : Joaquim dos Santos Labrincha (1925), Carlos Ançã (1926) e Francisco Fernandes Mano (1927 a 1929).
Vendido a Marcos & Sanico, Lda., de Aveiro, em 1930. Mantém o mesmo nome, mas muda de registo para Aveiro e passa ao serviço comercial.

Lugre “ São Paulo Primeiro “
1926-1937

Armador : Sociedade de Pesca Amizade, Lda., F. da Foz
-----------------
Nº Oficial : A-294 > Iic.: H.S.P.R. > Registo : Figueira da Foz
Cttor.: Manuel B. Mónica, Murraceira, lançado à água 03.09.1925
ex “São Paulo I”, Empr. Comercial Marítima, Lda., 1925-1926
Tonelagens : Tab 304,30 to > Tal 239,31 to
Comprimentos : Pp 38,22 mt > Boca 9,08 mt > Pontal 4,01 mt
Máquina : Não tinha motor auxiliar
Equipagem : 48 tripulantes
Capitães embarcados : José Francisco Bichão (1926 a 1929) e António Augusto Marques "O Marcela" (1930)
Vendido a Mariano & Silva, Lda., em 1936/7, mantém o registo na Figueira, mas muda o nome para “Maria Preciosa”.

Lugre “ João José “
1927-1937

Armador : Sociedade de Pesca Luso-Brasileira, Lda., F. da Foz
-----------------
Nº Oficial : A-297 > Iic.: H.J.Z.E. > Registo : Figueira da Foz
Cttor.: António Maria Mónica, F. Foz, lançado à água 04.03.1923
ex “Hercules”, Comp. Fomentadora Marít. Figueirense, 1923-1926
ex “João José”, Costa & Cª., Figueira da Foz, 1926-1927
Tonelagens : Tab 261,97 to > Tal 198,73 to
Comprimentos : Pp 41,44 mt > Boca 9,60 mt > Pontal 3,75 mt
Máquina : Não tinha motor auxiliar
Equipagem : 42 tripulantes
Capitães embarcados : Manuel Maria F. Chula (1927 a 1930)
Mudou o nome para “João José Segundo”, passando a integrar a frota de comércio desde 19.04.1937

Lugre " Bretanha "
1929 - 1930

Armador : Soc. Navegação e Pesca, Lda., Figueira da Foz
---------------
Nº Oficial : B-208 > Iic.: H.B.R.T. > Registo : F. da Foz
Cttor.: Soc. Portuguesa de Navegação, Figueira da Foz, 1923
ex "Cabo de São Vicente", Soc. Port. Navegação, 1923-1923
Tonelagens : Tab 294,82 to > Tal 227,11 to
Comprimentos.: Pp 40,28 mt > Boca 9,56 mt > Pontal 4,01 mt
Máquina : Não tinha motor auxiliar
Equipagem : (x) tripulantes
Capitães embarcados : Luiz Capote Teiga (1929)
O armador a partir de 1931 alterou o registo do navio para a praça de Aveiro. Vendido à Sociedade Lisbonense de Pesca do Bacalhau, Lda., em 1934, manteve o nome mas mudou o registo (476-F) para a praça de Lisboa.
Naufragou com água aberta no mar dos Açores, quando em viagem para a Terra Nova, a 03.06.1938

7 comentários:

Ricardo Matias disse...

Caro Senhor:
Fico muito surpreendido com estas informações sobre a frota bacalhoeira, pois pensava que não existiam e agradeço que a divulge por este meio
Por outro lado, gostaria de saber se quando indica o capitão e o respectivo ano, isso quer dizer que o navio foi ao bacalhau, nesse ano. Quando não há indicação, o navio não foi ao bacalhau?
Penso que sabe, que no Museu Marítimo de Ílhavo, existe abundante espólio que permite de forma segura avaliar o desempenho da frota bacalhoeira, desde 1934 a 1976, e com algumas lacunas, o período anterior e posterior.

reimar disse...

Caro amigo e Sr. Matias,
Estou a tentar compilar informação relativa à frota bacalhoeira desde
1900, tendo optado iniciar esta pesquisa pelos navios registados na F. da Foz. Na medida do possível, espero conseguir informação que me permita chegar até 1940, ainda que neste período não tenha referenciados os nomes dos respectivos capitães. Espero encontra-los posteriormente no MMI, através das páginas do Ílhavense.
Relativamente à sua pergunta, julgo saber que os navios fizeram campanhas consecutivas, mas nem sempre consegui a indicação do nome do capitão. Nos lugres a lista está mais ou menos completa, o que não acontece com os Iates, possivelmente por se tratar de navios menores.
Conheço relativamente bem o espólio do MMI, que através da enorme simpatia da bibliotecária, venho utilizando com regularidade. Sei também que o MMI neste momento não tem condições para fazer o trabalho de pesquisa aqui apresentado. Posso também adiantar que os capítulos seguintes vão cobrir a frota dos portos de Caminha, Esposende, Póvoa de Varzim e Vila do Conde, já que pouco ou nada se fala ou conhece destes navios. Para mais tarde trabalharei sobre a frota de Viana do Castelo, Porto e Aveiro. Com muita pena minha, verei se me é possível debruçar sobre o (1) ou os navios da Nazaré, Algarve e Lisboa.
Como vê vou estar muito ocupado durante os próximos tempos...
Cumprimentos e uma boa semana,
Reimar

fangueiro.antonio disse...

Bom dia.

Continuarei a seguir atentamente este seu excelente trabalho, ainda mais sobre os navios de Vila do Conde.

Atentamente,
www.caxinas-a-freguesia.blogs.sapo.pt

Rui Amaro disse...

Caro Reimar

O lugre/motor JOÃO JOSÉ SEGUNDO, ex JOÃO JOSÉ, já com o nome de S. JUDAS TADEU, perdeu-se por água aberta em 13/11/19?? (julgo finais da década de 50), quando em viagem de Benguela e Lobito para Cabinda, transportando duas partidas de sal e peixe seco, ao largo da Ponta da Moita, Sto. António do Zaire. Os seus 10 tripulantes comandados pelo capitão Artur Belo Morais, 70 anos, de Lisboa, salvaram-se na baleeira de bordo, tendo alcançado a remos o porto de Cabinda. O S. Judas Tadeu, que pertencia à Sociedade Naval e Comercial., Lda., Lisboa, tinha estado afecto ao tráfego costeiro de Angola e de Cabinda, de onde seguiria para Lisboa com um carregamento de madeiras.
Como JOÃO JOSÉ SEGUNDO era um interessante lugre de três mastros pintado de cinzento azulado claro e serviu muitos anos o tráfego costeiro internacional, visitando os portos de Leixões e Porto. Foto talvez na Foto-Mar.
Saudações marítimo-entusiásticas
Rui Amaro (Blogue Navios à Vista).

Ricardo Matias disse...

Caro senhor:
Sobre as campanhas do período do Estado Novo, estou bastante documentado, graças à D. Rosário do MMI, que me apoiou nas buscas, esta senhora foi e é de uma generosidade e de uma dedicação que nunca esquecerei, no apoio aos investigadores.
Disponho de muita informação, especialmente sobre os navios, as características, alterações e modificações.
Vou enviar-lhe em separado alguns dados que coligi.

Ricardo Matias

Fernando Honrado disse...

Boa tarde,

Sou Neto de Joaquim José Honrado, aqui referenciado como construtor do lugre "Santa Luzia" (anteriormente Neptuno).

Nasceu cerca de 1870, no Algarve, em Castro Marim. Foi construtor, também, nos Estaleiros da Figueira da Foz (anos 20) e depois técnico civil ao serviço da Marinha de Guerra, nas inspecções de construção naval.

Antes de estar instalado em S. Martinho do Porto, onde construiu o "Santa Luzia" e outras unidades, foi construtor no Algarve.

Gostaria de ter mais informações sobre Joaquim José Honrado; como poderei obtê-las?

Fernando Honrado

reimar disse...

Sr. Fernando Honrado,
No momento em que leio esta sua pergunta, não sei muito bem como lhe responder, no entanto se encontrar alguma informação relativa à pessoa do sr. seu avô, terei seguramente a preocupação de lhe dar conhecimento.
Para o efeito p.f. diga-me qual é o seu mail via
Cumprimentos,
Reinaldo Delgado