quarta-feira, 30 de abril de 2008

Navios Portugueses


Empresa de Navegação Luso-Maritíma, Lda.
Sonami - Soc. de Navegação Mixta, Lda.
Componave - Comp. Portuguesa de Navegação, Lda.

Estive a efectuar uma pesquisa sobre três navios referidos em comentário recente, tendo conseguido as seguintes informações :

n/m " Alfa " ou "Alpha"
1940 - 1940

O "Ibo" da CNN dp "Alfa" no Douro - detalhe em postal da cidade

Armador: Empresa de Navegação Luso-Maritíma, Lda.
Reg.: Marrocos? (Panamá / outra bandeira de conveniência)
Cttor: Sir Raylton Dixon & Co. Ltd., Middlesbrough, 11.1907
ex "Ibo" - Comp. de Nacional Navegação, Lisboa, 1907-1940
Tonelagens: Tab 852,84 to Tal 421,55 to > Porte 2.195 to
Cpmts.: Pp 60,97 mt > Boca 9,16 mt > Pontal 4,93 mt
Máquina: North Eastern Marine Eng. Co. Ltd. > 1:Te
Afundado por bombardeamento aéreo próximo a Brest, na posição 48º51N 06º43'W, em 15 de Julho de 1940.

n/m " Efalmeida "
1943 - 1947

O "Efalmeida" no rio Douro - foto colecção fsc

Armador: Sonami - Sociedade de Navegação Mixta, Lda.
Registo: Faro > Nº Oficial: G-471 > Iic.: C.S.S.P.
Cttor.: Joaquim Miguel Amaro, Faro, 1943
Tonelagens: Tab 512,08 to > Tal 347,27
Cpmts.: Ff 47,46 mt > Pp 40,39 mt > Bc 9,83 mt > Ptl 4,38 mt
Máq.: Sulzer, Suiça, 1944 > 1:Di > 500 Bhp
Naufragou na costa Portuguesa, na posição 36º40'N 08º36'W, em 09 de Julho de 1947.

n/m " Ricardo Manuel "
1963 - 1971

O "Harcliff" depois "Ricardo Manuel" em Inglaterra

Armador: Componave - Comp. Portuguesa de Navegação, Lda.
Reg.: Panamá (o navio utilizou bandeira de conveniência)
Cttor.: Goole Shipbuilding Co., Goole, Inglaterra, Dez. de 1940
ex "Empire Cliff" - Governo Inglês, Goole, Inglat., 1940-1945
ex "Marna" - C. Salvesen & Co., Inglaterra, 1945-1960
ex "Harcliff" - Hargreaves Coal & Shipping, Inglat., 1960-1963
Tonelagens: Tab 873,00 to > Porte 1.124 to
Cpmts.: Ff 61,80 mt > Pp 53,30 mt > Boca 9,20 mt
Máq.: 1:Di > Velocidade 9 m/h
Afundado após colisão com o navio Marroquino "Zagora", a 1 milha da entrada do porto de Casablanca, em 4 de Setembro de 1971.

3 comentários:

Rui Amaro disse...

Olá Reimar
O Ricardo Manuel embora pertencendo a uma companhia portuguesa arvorava bandeira de conveniencia Panamiana e a colisão, devido ao denso nevoeiro, foi com n/m marroquino Zagora quando se preparava para demandar o porto de Casablanca. Toda a tripulação foi resgatada pelo navio marroquino.
Um abraço
Rui Amaro

Luis Filipe Morazzo disse...

Caro Reimar

Não tenho palavras para agradecer, a sua total disponibilidade ao ter postado as fotografias dos navios “Efalmeida”, “Ricardo Manuel” e “Alpha”, como resposta a um pedido meu. Em relação ao acidente do “Ricardo Manuel”, confirmo os dizeres do amigo Rui Amaro. Na verdade, este navio que largara de Aveiro dois dias antes, naquela noite de 4-9-71, naufragou a uma milha ao largo do porto de Casablanca, em virtude de uma colisão com o cargueiro marroquino “Zagora”, que acabava de sair deste porto, com destino a Hamburgo.
Parece que o acidente foi provocado pelo nevoeiro e não houve qualquer vítima a lamentar.
Em virtude do choque, o “Ricardo Manuel” sofreu um grande rombo no casco, afundando-se no espaço de alguns minutos. Todavia, os dez marítimos que se encontravam a bordo (todos portugueses) puderam ser recolhidos pelo “Zagora”. Este último ao ter ficado pouco danificado voltou a Casablanca, a fim de desembarcar a tripulação portuguesa, para de seguida prosseguir a sua viagem em direcção a Hamburgo.
O “Zagora” era um navio de 2300 toneladas, que naquela altura assegurava um serviço regular entre Casablanca e os portos do Báltico, enquanto o “Ricardo Manuel” nas suas mais modestas 873 toneladas, mantinha um serviço regular entre Lisboa, Aveiro e Casablanca, transportando especialmente madeira para minas.

Uma vez mais reitero os meus agradecimentos ao bom amigo Reimar

Saudações marinheiras a toda a tripulação deste fantástico blogue

Luis Filipe Morazzo

Miguel Pinto disse...

Foi por casualidade que encontrei este blog e aproveito para corrigir um dado indicado nele acerca do naufragio do Ricardo Manuel. Os naufragos portugueses entre os quais se encontrava o meu pai nao foram resgatados pelo navio que provocou a colisao, este prosseguiu viagem sem dar assistencia a estes.

Miguel Pinto