terça-feira, 28 de abril de 2009

Soc. Geral - Nº 10 - " Mira Terra " (I)


“ Mira Terra “ (I)
1926 – 1952
Soc. Geral de Comércio, Indústria e Transportes, Lda.

O "Mínimo" ex "Mira Terra" (à esquerda) aguarda a demolição
Imagem (c) da autoria e colecção de F. Cabral, Porto

Nº Of.: 495-E > Iic.: H.M.T.R. > Registo : Lisboa, 1926
Cttor.: Gebr. Boot de Hoop, Leiderdorp, Holanda, 03.1919
ex “Polldiep”, Hol. Vrachtvaart Maats, Roterdão, 1919-1925
ex “Westminster Bridge”, Onslow S/s Co., Inglt., 1925-1926
ex “Porto”, Soc. Geral ( nome não registado ), 1926-1926
Máq.: K.N.M.F., Roterdão, 1919 > 1:Te > 450 Ihp > 8,5 m/h

1º Registo
Tonelagens : Tab 503,61 to > Tal 255,41 to
Cpmts.: Pp 50,09 mt > Boca 7,83 mt > Pontal 3,20 mt
Equipagem : 15 tripulantes

2º Registo
Nº Oficial : 495-E > Iic.: C.S.H.K. > Reg.: Lisboa, 02.08.1946
Tonelagens : Tab 503,61 to > Tal 255,41 to
Cpmts.: Ff 53,35 mt > Pp 50,09 mt > Bc 7,83 mt > Ptl 3,20 mt
Equipagem : 15 tripulantes

O "Mira Terra"
desenho de Luís Filipe Silva

Vendido em 1952 a J. Vasconcelos, de Lisboa, mudou o nome para “Mínimo”, continuando a navegar com registo em Lisboa, mas apenas durante poucos meses. Amarrou em Lisboa ainda em 1952, ali se mantendo até meados de 1954. Após venda à empresa de sucatas Rocha, Mota & Soares, Lda., do Porto, o navio realizou a última viagem até ao rio Douro, onde foi demolido em finais de 1954.

1 comentário:

jose disse...

Creio que meu avô era o responsável pelas máquinas deste navio, pode-me confirmar isso? José António Miranda Gomes

Cumprimentos

José Henrique Gomes