quarta-feira, 8 de abril de 2009

Os navios de Júdice Fialho (1), Portimão


João António Júdice Fialho
Portimão 1895 – Lisboa 1934

Apesar das inúmeras referências ligadas ao nome deste ilustre algarvio, em diversas cidades da província, pouco ou quase nada se encontra relativamente às suas facetas como armador e empresário, excepto ter casado com a filha dum abastado médico italiano, radicado localmente e ter sido dono duma belíssima moradia, na cidade de Portimão.
Como empresário o nome Júdice Fialho aparece ocasionalmente associado à indústria conserveira, devido às fábricas postas a laborar próximo a diversos portos piscatórios, com relevo para Faro, Matosinhos e Peniche.
Convém contudo lembrar que Júdice Fialho terá iniciado a sua carreira profissional, através da venda de palamenta e equipamentos para as embarcações de pesca, pelo que ainda jovem estaria já muito familiarizado com essa actividade.
Com a compra de pequenos barcos para a pesca, deu início à criação duma considerável frota pesqueira, ao longo dos anos, que o ligaram à pesca costeira, à pesca do alto, à pesca do bacalhau na Terra Nova, tendo ainda colocado um dos seus lugres no serviço de cabotagem nacional e internacional.
Naturalmente com extrema facilidade adquiriu vantagem em relação aos restantes concorrentes armadores algarvios, que existiam à época em número considerável, pois na eventualidade do peixe não ser comercializado, tinha sempre garantido o escoamento para as fabricas de conserva. E se por acaso houvesse falta de peixe, a situação era normalmente ultrapassada com a conserva de frutas e legumes.
Convém igualmente salientar que o pai Júdice Fialho, por se encontrar referência ao nome a partir de 1906, devia igualmente ter um forte vínculo à pesca, ainda que sem a grandeza e dimensão que se verificaram posteriormente.
Da frota da sua propriedade, até à data do seu falecimento, salientamos as seguintes embarcações:

Navio de cabotagem nacional e internacional

Lugre de 3 mastros “ALGARVE 3º”
Nº Oficial : 612 > Iic.: H.A.L.C. > Porto de registo : Portimão
Cttor.: Manuel M. Bolais Mónica, Gafanha da Nazaré, 1921
Tonelagens : Tab 222,00 to > Tal 162,00 to
Comprimentos : Pp 35,11 mt > Boca 9,05 mt > Pontal 3,73 mt
Máquina : Sem motor auxiliar

Navegação de longo curso – pesca do bacalhau

Lugre de 4 mastros “ALGARVE 2º”
Nº Oficial : 605 > Iic.: H.A.G.S. > Porto de registo : Portimão
Construtor : J.P. de Sousa, Portimão, 1921
Tonelagens : Tab 459,73 to > Tal 388,31 to
Comprimentos : Pp 39,32 mt > Boca 8,75 mt > Pontal 4,93 mt
Máquina : Sem motor auxiliar

Lugre de 3 mastros “ALGARVE 4º”
Nº Oficial : 605 > Iic.: H.A.G.S. > Porto de registo : Portimão
Construtor : Tobias de Lemos, Aveiro, lançado Maio de 1921
ex “Rigel”, Soc. Construção e Pesca Lda., Aveiro, 1921-1922
Tonelagens : Tab 273,20 to > Tal 259,54 to
Comprimentos : Pp 41,60 mt > Boca 9,00 mt > Pontal 4,00 mt
Máquina : Sem motor auxiliar

Lugre de 3 mastros “ALGARVE 5º”
Nº Oficial : 614 > Iic.: H.A.L.Q. > Porto de registo : Portimão
Construtor : J.P. de Sousa, Portimão, 1923
Tonelagens : Tab 379,55 to > Tal 360,58 to
Comprimentos : Pp 38,75 mt > Boca 9,50 mt > Pontal 3,75 mt
Máquina : Sem motor auxiliar

Continua…

8 comentários:

Ana Maria Lopes disse...

A confusão dos Algarves dá-lhe que fazer. Pelos vistos, também houve um, o terceiro, que foi construído aqui na Gafanha!
Boa Páscoa, com folares, amêndoas, saúde e algumas pesquisas!

Bellis disse...

Bom dia

Permita-me corrigi-lo.
Não era ALGARVE # mas Portugal #.
Muitas vezes fui à pesca nesses magníficos túmulos marítimos.

reimar disse...

Ora viva Sr Engº "Bellis",

Grato pela viagem ao norte, onde às vezes se procura pelos "túmulos" do sul. Nesta pesquisa fixei-me mais ou menos durante o período de vida de Júdice Fialho, daí que acredito tenha pescado nos "Portugais" adquiridos posteriormente para a pesca da sardinha, propriedade da viúva e herdeiros.
Saudações marítimas, Reimar

Elias disse...

Ora viva reimar.
Acontece que sou um apaixonado por barcos tendo-me iniciado recentemente em nautimodelismo.Por outro lado conheci nos meus tempos de miúdo, doze, treze anos até menos, a frota de pesca dos Portugal Primeiro, Segundo, Terceiro...salvo erro até ao oitavo ou nono que se não estou em erro eram umas enviadas pequenas. Muitas vezes os vi chegar pela manhã ao porto de Portimão. Já nada resta é claro, mas, há dias descobri o Portugal Primeiro em doca seca e fiz algumas fotos. Vi igualmente, já não me lembro bem o 5º e o 7º, mas, com cores diferentes. Nas minhas memórias eram todos pretos, ou estarei enganado? Existiam também duas grandes traineiras, talvez as maiores do Algrave, embora não fossem da Praça de Portimão que se não me engano eram a "Mirita" ou "milita"? e a "Flôr do Algarve", esta última creio da Praça de Tavira.Agradeço que me corrija se estiver enganado. Igualmente se souber onde eu possa obter os desenhos geométricos de uma destas traineiras de popa de leque, agradecia a informação.

MIGUEL disse...

Os "Portugal" eram traineiras e não Enviadas, actualmente só resta o Portugal Quinto e por sinal deve ser a unica em actividade de norte a sul com popa de leque, a Portugal sétimo está abandonada no porto de Portimão e a mais antiga a Portugal Primeiro construida nos estaleiros de Vigo em 1911 só recentemente foi abatida à frota, mas tem como destino o museu de Portimão.
A Milita continua em actividade embora construida na decada de 60 sofreu sucessivas modernizações já a Mirita parece que foi desactivada.
Tenho uma galeria no site OLHARES onde pesquisam Miguel Sesimbra e encontram fotos de traineiras, inclusive dos nomes mencionados.

Francisco Martins disse...

Por mero acaso deparo-me com comentários a propósito da frota de um dos mais famosos armadores da Provincia do Algarve e porque vivi alguns anos muito perto dessas embarcações e tendo na familia muitos membros que foram seus tripulantes e artífices gostaria de saber um pouco mais, através doutros interessados que me possam ajudar a encontrar antigas fotografias desses navios. Gostaria todavia de prestar um pequeno contributo que aí vai:
Os vapores 'PORTUGAL 6º' e PORTUGAL 7º'(*) foram adquiridos por JAJ Fialho no Reino Unido, trazidos pelos próprios meios para Portugal e armados para a pesca de cerco americano nos Estaleiros de São Francisco/Estrumal. Eram embarcações de mt boa construção com potentes máquinas a vapor de triplice expansão. Os Mestres Maçanita e João Samirra por exemplo, governaram esses galeões entre os anos 40/60.
Do que me lembrar poderei esclarecer pois creio que se fazem fàcilmente confusões no porte, aplicação e designação dos varios tipos de barcos utilizados na época, para a pesca da sardinha
(*) Talvez também o PORTUGAL 8º que se nao estou em erro naufragou junto à barra de Portimao-
O PORTUGAL 9º (o NOVE) foi construido no Estrumal pelo mestre Bomfim e era de todos os vapores o mais rapido.
Saudações amigas

reimar disse...

Caro Sr. Francisco Martins,
Quando inicialmente abraçei a ideia de escrever sobre os navios de pesca de Júdice Fialho, tinha em mente fazer referência aos lugres que estiveram presentes em diversas campanhas de pesca do bacalhau, até porque, ainda que o lamente, não me tenho dedicado aos navios da pesca costeira.
Todavia, como tenho alguma documentação poderei passar-lhe os detalhes das traineiras Portugal, e eventualmente até de uma ou outra enviada, casos da Portimão e Portimão segundo.
Da mesma forma posso dizer-lhe que Júdice Fialho teve mais que um navio com o mesmo nome, caso do Portugal Sétimo. O primeiro é de construção inglesa (1905) e o segundo foi construído em Portimão (1954) e lógicamente é muito provavel que se tenha repetido o caso com o Portugal Sexto, nuito embora não o possa confirmar.
Como essas traineiras andaram também por Peniche e Matosinhos é
natural que haja fotos delas cá pelo norte. Irei verificar logo que possível.
Para o efeito preciso do seu mail. P.f. entre em contacto comigo via «reimar50@gmail.com»
Cumprimentos,
Reinaldo Delgado

caos disse...

nasceu em 1959.