quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Pesca do bacalhau - a Parceria Portuguesa


Os navios da Parceria Portuguesa de Pescarias
Lisboa

Entretanto, porque quase sempre se gera confusão quando se discute os navios bacalhoeiros, tive uma conversa muito interessante com um amigo próximo, motivo que me leva a publicar detalhes sobre outra empresa cujo exercício esteve ligado à pesca do bacalhau, desde a liberalização da actividade em 1902. Verifico terem tido dois navios registados na pesca longínqua, o primeiro em 1902 e o segundo em 1905, acabando ambos afundados vitimas de ataques de submarinos Alemães, em Agosto de 1917, no espaço de dois dias, em dois locais diferentes da nossa costa.
Apesar de ambos os navios terem sido registados em Lisboa, os oficiais e parte das tripulações deviam ser oriundos de Ílhavo, conforme notícias da época. Mais, constato que nos anos de 1916 e 1917 os navios utilizavam equipagens reduzidas (1), levando-me a pensar que esses navios possam ter sido chamados a colaborar no esforço de guerra, antecipando o seu fim de forma precoce.
(1) O lugre “Argus” (I) da Parceria Geral de Pescarias, por exemplo, tinha nesse período uma equipagem composta por 9 tripulantes.

Palhabote “ Açor “

1905 - 1917
Nº Oficial : 408-B > Iic.: H.B.K.T. > Registo : Lisboa
Construtor : Desconhecido, Estaleiros de Fão, 1891
Tonelagens : Tab 182,82 to > Tal 173,68 to
Cpmts.: Pp 31,79 mt > Boca 7,94 mt > Pontal 3,30 mt
Quando posicionado na pesca, utilizava 29 tripulantes
Afundado por submarino Alemão, com carga de dinamite, na costa próximo ao Cabo de S. Vicente, a 16.08.1917.

Lugre “ Terra Nova “ (I)

1902 - 1910
Iic.: H.J.S.T. > Tab.: 304,50 to > Tal 289,27 to
1910 – 1916
Nº Of.: 386-C > Iic.: H.J.S.W. > Tab 294,52 to > Tal 241,66 to
1916 – 1917
Nº Of.: 479-C > Iic.: H.J.S.W. > Registo : Lisboa
Construtor : Desconhecido, Noruega, ???
Tonelagens : Tab 303,18 to > Tal 279,99 to
Cpmts.: Pp 38,60 mt > Boca 8,88 mt > Pontal 3,88 mt
Quando posicionado na pesca, utilizava 35 tripulantes

Sobre o naufrágio recorremos ao jornal “O Comércio do Porto”, Nº 198, Pag. 2, de terça-feira, 21 de Agosto de 1917, com o seguinte teor :

Ílhavo, 18.08.1917
Quando esta madrugada as companhas da Costa Nova se preparavam para largar para a pesca, viram, não longe da praia, uma embarcação desconhecida que procurava ganhar terra. Imediatamente um dos barcos foi lançado ao mar para o socorrer, o que foi feito sem grande perigo, sendo recolhidos 10 marinheiros, náufragos do lugre “Terra Nova”, que seguia viagem de Lisboa para França, e fora torpedeado ontem por um submarino Alemão a cerca de 40 milhas da nossa costa. O Comandante do “Terra Nova” é o nosso amigo Ílhavense Sr. Gustavo Peixe. Todos os tripulantes foram salvos.

1 comentário:

armando santos disse...

Caro Sr. Reinaldo
Gostava de trocar algumas impressões acerca da identidade de navios com o nome "Terra Nova". Para tal pedia-lhe, se possivel, que me indicasse o seu contacto de e-mail,para que eu podesse apresentar as minhas dúvidas. Reconhecendo quão entusiasta é nestes assuntos e na sua divulgação espero poder atender-me. O meu contacto é: armandosantos1958@gmail.com. Os meus cumprimentos e agradecimento antecipado. Bem haja. A.S.