sexta-feira, 7 de março de 2008

Frotas nacionais - Vieira & Labrincha


Vieira & Labrincha, Lda.
Travessa do Corpo Santo, 21-1º, Lisboa

1936 - 1951

Quando não há muito para fazer, faz-se aquilo que se pode. Este podia perfeitamente ser o lema da empresa, que operava na cabotagem nacional principalmente de graneis sólidos, serviço esse interrompido ocasionalmente por transportes além fronteiras. Daí que a história da empresa se confunda com os navios integrados na frota e que muito galhardamente navegaram durante os anos da II Grande Guerra Mundial, permitindo a troca de bens de consumo através do mar português, ajudando a melhorar as condições de vida no país.

" Maria Joana "
Porto de registo: Lisboa, 1936

O "Maria Joana" no Douro - foto de J. Gouvea Marques
Colecção (c) de fsc

N/ motor > Nº Of.: G-401 > Iic.: C.S.G.P. > Equip.: 11 tripulantes
Construtor: Scheepswerf "de Maas", Slikkerveer, Holanda, 1918
ex "Jacoba" (escuna 3) - N.V. Scheepswerf "de Maas", 1918-1919
ex "Jacoba" - Schpvt v/d Eb & Dresselhvys, Roterdão, 1919-1922
ex "Tabasco" - Entrepr. Maritimes Belges, Antuérpia, 1922-1922
-----
Lugre com motor > Cabotagem > Nº Of. 401-E > Iic.: H.O.N.T.
ex "Horisonte" - Soc Port. Naveg. Mixta, Lda., Lisboa, 1922-1929
Tonelagens: Tab 413,61 to > Tal 351,49 to
Comprimentos: Pp 41,50 mt > Boca 8,40 mt > Pontal 3,75 mt
Máq.: Peter Patente Oil Engine, Yeovil > 1:Sd > 220 Bhp
-----
Lugre com motor > Cabotagem > Nº Of. 376-F > Iic.: C.S.G.P.
ex "Horisonte" - Parceria Geral de Pescarias, Lisboa, 1929-1936
Tonelagens: Tab 422,51 to > Tal 304,20
Comprimentos: Pp 42,36 mt > Boca 8,00 mt > Pontal 3,68 mt
Máq.: Peter Patente Oil Engine, Yeovil > 1:Sd > 220 Bhp
-----
Tonelagens: Tab 427,44 to > Tal 309,29 to
Cpmts.: Ff 48,50 mt > Pp 42,36 mt > Bc 8,00 mt > Ptl 3,68 mt
Máq.: Peter Patente Oil Engine, Yeovil > 1:Sd > 220 Bhp
Afundado após ter sido abalroado pelo vapor Norueguês "Ingria", dentro do porto de Leixões, com 13 tripulantes a bordo, que se salvaram, devido a violento temporal em 27.01.1937. Recuperado foi posto a flutuar em 1939. Reparado em estaleiro, foi efectuada a conversão passando a navio motor. Naufragou por encalhe à entrada do porto de Fogo Harbour, na Terra Nova, quando transportava um carregamento de sal, em 19.09.1948

" Alger "
Porto de registo: Lisboa, 23.01.1937

O "Alger" no rio Douro - foto (c) da colecção de fsc

N/ motor > Nº Of.: G-368 > Iic.: C.S.J.I. > Equip.: 11 tripulantes
Construtor: J. Smit & Zoon, Foxhol, Holanda, Maio de 1930
ex "Oldambt" - N.V. Motorvrachtvaart Oke (Mng. J.J. Onnes), Groningen, Holanda, 1930-1936
Tonelagens: Tab 430,68 to > Tal 288,35 to > Porte 600 to
Cpmts.: Ff 47,62 mt > Pp 45,39 mt > Bc 7,80 mt > Ptl 3,10 mt
Máq.: Sulzer Frères, Suiça, 1945 > 1:Di > 400 Bhp > 9 m/h
No final da década de 40, teve avaria na máquina Mak, fabricada em Colónia, Alemanha, em 1930, tendo sido rebocado para o rio Douro pelo vapor de Pilotagem de Lisboa "Comandante Pedro Rodrigues". Naufragou por encalhe próximo a Peniche, em 29.06.1969, mas foi recuperado e posto a flutuar no dia seguinte. Regista ainda uma colisão contra a ponte de caminho de ferro que liga Lavradio ao Seixal, à entrada do rio Coina, em 18.09.1969 que lhe provocou avarias. Terá sido supostamente vendido para demolição em Alhos Vedros, em 1998.

" João José Primeiro "
Porto de registo: Lisboa, 23.08.1937

O "João José Primeiro" no rio Douro - foto (c) da colecção de fsc

N/ motor > Nº Of.: G-452 > Iic.: C.S.D.R. > Equip.: 9 tripulantes
Construtor: J. Smit & Zoon, Groningen, Holanda, 1917
ex "Merwestein" (escuna) - N.V. Zeevaart, Holanda, 1917-1919
ex "Merwestein" - J.H. Andresen, Porto, 1919-1923

Iate c/ motor > Nº Of.: B-136 > Iic.: H.M.R.E > Reg. no Porto
ex "Merwestein" - Taveira Laidley & Cª., Lda., Lisboa 1923-1930
Tonelagens: Tab 250,10 to > Tal 196,48 to
Comprimentos: Pp 35,00 mt > Boca 7,24 mt > Pontal 3,30 mt

ex "Horisonte 1º" - Sonami, Lisboa, 1930-1932
ex "Teotónio Pereira" (pontão) - 1932-1932
ex "João José Primeiro" - José M. Labrincha, Lisboa, 1932-1937
Tonelagens: Tab 242,28 to > Tal 174,17 to > Porte 360 to
Cpmts.: Ff 36,93 mt > Pp 33,44 mt > Bc 7,23 mt > Ptl 3,21 mt
Máq.: Humboldt-Deutzmotoren > 1:Di > 400 Bhp > 9 m/h
Vendido a Vieira & Silveira, Lda., Lisboa, 1951-1965
Naufragou próximo a Aveiro, em viagem de Setúbal para o Porto, em 01.01.1965, devido a mau tempo, registando-se a morte dos 9 tripulantes embarcados.

" Lavi "
Porto de registo: Lisboa

O "Lavi" ex "Secil" no rio Douro - foto da colecção de fsc

Cttr.: Eiderwerft A.G., Tonnig, Alemanha, Agosto de 1908
ex "Irmgard Linnemann" - H. Linnemann, Hamburgo, 1908-10
ex "Jyden" - J. Villemoes, 1910-1913
ex "Rosafred" - Werckbachs Angfartygs A/B, Suécia, 1913-1926
ex "Rosafred" - Hangen Tellefsen, Noruega, 1926-1934
ex "Secil" - Secil- Comp. Cal e Cimento, Setúbal, 1934-1938
Tonelagens: Tab 572,64 to > Tal 332,51 to
Comprimentos: Pp 53,73 mt > Boca 8,91 mt > Pontal 3,27 mt
Máquina: 1:Te > 500 Ihp > Velocidade 8 m/h
Naufragou 25 milhas ao largo de Ponta Delgada, em 29.09.1938

7 comentários:

capitão_nemo disse...

É a primeira vez que escrevo neste blog do qual, só hoje, tomei conhecimento.

Quanto à história do "ALger" gostaria de fazer uma correcção. A ponte ligava o Barreiro (Zona da Recosta - Verderena) ao Seixal. Ponte essa que era metálica e dispunha de um tabuleiro que levantava para permitir a passagem de navios para a Siderugia Nacional em Paio Pires - Seixal.
O Lavradio é uma freguesia/zona da Cidade do Barreiro que fica virado para o Montijo, Moita, Gaio Rosário e Sarilhos Pequenos. Creio que este navio pode ser um que se vê da praia fluvial do Gaio Rosario, pois em frente, vê-se precisamente um navio semelhante a este todo ferrugento. E em frente ao Gaio Rosario fica Alhos Vedros. Se for este navio ainda existe embora muito ferrugento.

reimar disse...

Caro amigo,
Tomei nota da sua informação que agradeço. Infelizmente são locais que não conheço, levando a erros sujeitos a posterior correcção, como neste caso.
Cumprimentos, Reimar

Lia Mack disse...

Encontrei o seu blog quando estava a procura de informacao sobre a empresa "J H Andresen".

O meu trisavo capitaneava um brigue chamado "Fortuna", que pertencia a esta empresa.

Por acaso sabe onde poderei encontrar informacoes sobre o brigue em questao?

Muita agraddecida,
Adilia

reimar disse...

Srª Dª Adília,
Agradeço a visita ao blog. Quanto ao brigue "Fortuna", um dos meus amigos tem algum material da empresa J.H. Andresen (que ainda existe, mas apenas na área ligada ao vinho do Porto). Vou procurar e dar-lhe-ei resposta por esta via logo que possível.
Cumprimentos, Reimar

Lia Mack disse...

So agora vi a sua resposta. Agradeco-lhe imenso a atencao.
Com os melhores cumprimentos,
Adilia

Antonio Marques disse...

Antes de mais gostaria de agradecer ao criador deste blog e pela partilha das fotos. Só assim vamos recuperando um pouco da nossa história e fazendo relembrar momentos! Eu falo assim porque o navio Alger tem uma historia na minha família!
Começo por dizer que nasci na Foz do Douro e lá fui criado até aos meus 14 anos de idade. Hoje tenho 38 anos e vivo em Staudt na Alemanha. O meu pai desde muito cedo que começou a trabalhar no rio Douro como barqueiro junto com o meu avo. Trabalhou na empresa António de Sousa Co. Lda. a qual o seu padrinho era o dono e era também comendador da ordem de S. Francisco. Meu pai trabalhou também noutras empresas, era o ganha pão na altura e quem desse mais era amigo. Uma das empresas era a Morais, da qual já vi fotos de 2 das suas "Lanchas". Mas o que mais surpreendeu foi mesmo ver a foto do Alger, o meu pai ficou com o olhar pregado na foto durante alguns minutos sem mexer um único músculo! O motivo desta estupefação foi porque ele embarcou neste mesmo navio em 3.07.1967! Tenho em meu poder a Cédula de inscrição Marítima que comprova esse facto, não só no Alger como também algum tempo depois no Priwall em 04.04.1968! Estou a tentar recuperar alguns pedaços da história da minha família através de fotos, documentos, relatos etc... Por todo isto que acabei de escrever gostaria de pedir encarecidamente se mais alguém possui fotos deste navio, ou até mesmo do navio Priwall que me pudessem ceder! Essas fotos serão somente para uso pessoal e não serão publicadas em nenhum site ou blog! Tenho também algumas fotos que também poderei ceder! Grato desde já por tudo, cumprimentos António Marques

reimar disse...

Caro António Marques,
Grato pelo comentário, que acredito tenha cumprido o objectivo de trazer boas recordações, de um passado recente. Pela questão de proximidade,
que remete ao exercício da actividade na zina do Infante durante muitos anos é muito provável que tenha convivido com o seu pai e avô.
Para todos votos de boas festas.
Cumprimentos,
Reinaldo Delgado