quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

A bandeira Portuguesa no mar - o "Athena "

De todos os navios que se encontram a navegar com a bandeira Portuguesa, logo se destacam pela história e longevidade os paquetes " Athena " e " Princess Danae ". Optamos por falar do primeiro destes dois, porque durante algum tempo foi primeira página dos jornais de todo o mundo. Para a apresentação deste trabalho, esperamos conseguir contar ainda que muito resumidamente alguns detalhes de um longo percurso sobre o mar, até à chegada definitiva ao registo nacional.

Durante a vida deste blog irão aparecer navios das frotas nacionais, grandes e pequenos, de carga e de passageiros, que certamente em determinado momento fizeram história e que acreditamos está ainda por contar. Mas também podem aparecer navios estrangeiros, que as ocasiões ou circunstâncias justifiquem esse alargamento.

E se puder, querendo, aproveite para viajar connosco num passado glorioso, de memórias que o futuro está cansado de esperar...

O " Athena "

Este navio foi encomendado pela Companhia Svenska Lloyd (Swedish America Line), aos estaleiros Gotaverken de Gotemburgo, sendo a primeira grande unidade a ser construída no pós II Grande Guerra Mundial e à data o maior de todos os navios fabricados em estaleiros Suecos.
Ficou concluído em Fevereiro de 1948 e baptizado " Stockholm ", sendo o 4º e último navio desta companhia a navegar com esse nome.
Nos 12 anos de serviço regular para portos nos Estados Unidos, sob registo Sueco a transportar emigrantes para o novo mundo, ficou célebre pela colisão e afundamento do paquete Italiano " Andrea Doria ", em Nantucket, a 25 de Julho de 1956, sob denso nevoeiro, quando em viagem para Nova Iorque.
Para dar uma ideia da violência do embate, lembramos que os trabalhos de reparação em Nova Iorque demoraram cerca de seis meses. Temos ainda presente que um tripulante do paquete Italiano, dado como desaparecido, foi encontrado ferido a bordo do " Stockholm ". Terão então os técnicos chegado à conclusão que o indivíduo em causa, foi catapultado de convés a convés, num vôo acrobático que cobriu a distância de 20 metros.

O " Stockholm " - postal da companhia

Colocado à venda em 1960, porque o mercado da emigração havia sido substituído pela aviação,
foi adquirido pela VEB Seerederei, a Companhia do Estado da ex-República Democrática Alemã, para ser operado pela Deutscher Gewerkschaftsbund, a União de Sindicatos, rebaptizando o navio como " Volkerfreundschaft " e transferido o registo para o porto de Rostock.

O " Volkerfreundschaft " - postal da companhia

Novamente colocado à venda, foi comprado em 1985 pela Companhia Inglesa Neptunus Rex Enterprises, que manteve o navio amarrado em Southampton, durante um ano, sob registo Inglês, tendo-lhe encurtado o nome para "Volker ". No culminar desta paralização, o navio segue com destino à Noruega, transfere outra vez o registo a adopta o nome " Fridtjof Nansen ", para permanecer amarrado ao cais, mas agora com o objectivo de ser utilizado como albergue de refugiados, no porto de Oslo.

O " Fridtjof Nansen - postal do porto de Oslo

Decorridos três anos, em 1989, o navio conhece novo armador, a Companhia Italiana Star Lauro, que amarrou o navio no porto de Génova, para efectuar reconversão para serviço de cruzeiros, permanecendo em porto e depois no estaleiro local, para os respectivos trabalhos de modernização. Havia inicialmente a intenção da Companhia colocar o navio a operar sob o nome " Surriento ", projecto gorado devido a graves problemas de cariz financeiro.
Não houve outra solução senão vender o navio, tal como se encontrava no estaleiro, tendo-se apresentada como candidata à compra a Companhia de Navegação Nina, S.P.A., que assume os encargos de conclusão dos trabalhos, numa despesa final que rondou os 150 milhões de dólares.
À saída do estaleiro em Agosto de 1993, o navio é apresentado completamente desfigurado, tão diference, que dificilmente se percebe tratar-se do mesmo navio. Passa a navegar com registo Italiano de Génova, tendo sido rebaptizado como " Italia Prima ".

O " Italia Prima " - postal da companhia

No decorrer dos 5 anos seguintes, o navio é colocado a operar no serviço de cruzeiros, com muita regularidade a efectuar viagens pelo Mediterrâneo, inicialmente pela empresa armadora e mais tarde através do operador Alemão Neckermann Seereisen, que alarga o périplo de ofertas até aos portos do Norte da Europa, com várias escalas anuais pelos maiores portos nacionais.

Continua...

2 comentários:

A VER NAVIOS disse...

Nas minhas navegações na blogosfera encontrei este novo blog iniciado ontem.
Fiquei maravilhado, pelo tão pouco que ainda vi.
Ao seu criador desejo-lhe muitos sucessos e muito tempo de vida.
Força, continue. É sempre de aplaudir quem tem a coragem de começar um trabalho destes, relacionado com os navios, com o mar, as suas gentes e vivências, de quem Portugal anda tão afastado.
Toda a força avante, bom tempo mar e horizonte.
Ainda bem que ainda há pessoas assim.
Os meus mais sinceros parabéns.

Sailor Girl disse...

Parabéns pelo excelente blogue!!!!
Vim aqui através do amigo que está a ver navios!!!!