terça-feira, 7 de dezembro de 2021

Navios portugueses - o lanchão "Sadino"


Navio novo construído no estaleiro da Gafanha
Outubro, 24 - Nos estaleiros da Gafanha foi lançado à água o lanchão-motor “Sadino”, de dois mastros, destinado ao serviço de cabotagem. A nova unidade, que desloca 270 toneladas de carga é propriedade da firma Chaves & Mateus, de Setúbal.
O lanchão "Sadino" no rio Douro

Caractrísticas
Armador: Chaves & Mateus, Lda., Setúbal
Nº Oficial: 511 - Iic: C.S.P.C. - Porto de registo: Setúbal
Construtor: Arménio Bolais Monica, Gafanha da Nazaré, 1952
Arqueação: Tab 193,27 tons - Tal 136,93 tons
Dimensões: Ff 34,18 mt - Pp 30,98 mt - Bc 7,73 mt - Ptl 3,44 mt
Propulsão: Deutz, 1952 - 1:Di - 6:Ci - 230 Bhp

À cerimónia do bota-abaixo assistiram diversas entidades oficiais e convidados. Foi madrinha do novo navio a menina Maria do Carmo, filha do sr. Celestino Rosa Mateus, um dos proprietários do “Sadino”, tendo procedido ao corte dos cabos o capitão do porto, sr. comandante Pinto Basto Carreira.
Numa dependência dos estaleiros foi servido um «Copo de Água», tendo usado da palavra e dirigido felicitações aos construtores e proprietários do navio, os srs. prof. Manuel Nunes Carlos e António Maria Rodrigues, funcionário superior do ministério da Marinha.
Fonte: Jornal “Comércio do Porto”, Domingo, 26 de Outubro de 1952

segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Leixões na rota do turismo!


Navios em porto na segunda quinzena de Outubro

No dia 27, o navio de passageiros "Island Sky"
Características
Armador: Noble Caledonia Ltd., Londres, Inglaterra
Nº Oficial: 8000809 - Iic: C.6.T.Q.2. - Registo: Nassau, Bahamas
Construtor: Nuovi Cantieri Apuania SpA, Carrara, Itália, 1992
Arqueação: Tab 4.200,00 tons - Tal 1.286,00 tons
Dimensões: Ff 90,60 mt - Pp 78,78 mt - Bc 15,30 mt - Ptl 5,85 mt
Propulsão: 3,560 kW (4.840 hp), 750 rpm - 2 hélices CP, 195 - 12 nós
Equipagem: 72 tripulantes
Chegou procedente de Lisboa, saiu com destino à Figueira da Foz

No dia 28, o navio de passageiros "Artania"
Características
Armador: V Ships Leisure SAM, Mónaco-Ville, Mónaco
Operadores: Phoenix Reisen GmbH, Bona, Alemanha
Nº Oficial: 7000988 - Iic: C.6.C.Y.5. - Registo: Nassau, Bahamas
Construtor: Oy Wartsila Ab, Helsínquia, Finlândia
Arqueação: Tab 44.656,00 tons - Tal 19.772,00 tons
Dimensões: Ff 230,61 mt - Pp 193,17 mt - Bc 32,21 mt - Ptl 19,33 mt
Propulsão: 39.644 hp, 750 rpm - 2 hélices CP, 125 - 18 nós
Equipagem: 520 tripulantes
Chegou procedente da Corunha, saiu com destino a Lisboa

No dia 29, o navio de passageiros “Hamburg”
Este navio já foi citado na visita ao porto no dia 30 de Setembro, tendo
chegado procedente de Lisboa, e saído com destino ao Ferrol.

quarta-feira, 17 de novembro de 2021

Dia Nacional do Mar 2021


Sinistros Marítimos
no País e no Estrangeiro
1786:1996

Aproveitando a excelente oportunidade que é celebrar esta importante data, escolhi dar a conhecer o trabalho que publiquei recentemente, com histórias de navios e gentes que cruzaram oceanos.

domingo, 14 de novembro de 2021

Divulgação


Comemoração do Dia Nacional do Mar 2021
Ciência para o Desenvolvimento Sustentável
17 de Novembro - 14.30 horas

segunda-feira, 1 de novembro de 2021

História trágico-marítima (CCCXXVIII)


O lugre “Amisade Primeiro” afundou-se perto do porto de
Cadiz, tendo-se salvo a tripulação
Por notícias recebidas ontem em Lisboa, soube-se que se afundou, perto do porto de Cadiz, para onde se dirigia, o lugre-motor português de 172 toneladas, “Amisade Primeiro”, da praça de Faro, propriedade da Empresa de Navegação Amisade, Limitada.
A tripulação foi salva e o sinistro ocorreu devido a ter lavrado antes, a bordo, um violento incêndio.
Fonte: Jornal “Comércio do Porto”, terça-feira, 9 de Outubro de 1951
Foto do "Amisade Primeiro", em Leixões

Características do navio
Lugre-motor “Amizade Primeiro“
Nº Of.: A-651 - Iic.: C.S.M.L. - Registo: Faro, 15.03.1945
Armador: Empresa de Navegação Amisade, Lda., Faro
Construtor: António M. Mónica, Murraceira, F. da Foz, 1921
Arqueação: Tab 171,77 tons - Tal 124,60 tons - Porte 280 tons
Dimensões: Ff 40,20 mt - Pp 34,36 to - Bc 8,53 mt - Ptl 3,21 mt
Máquina: Skandia, 1935 - 1:Sd - 130 Bhp - Veloc. 6 nós
Equipagem: 8 tripulantes
- - - - - - - - - - - -
ex lugre-motor “Amisade 1º“, Joaquim S. Pité, Faro, 1935-1945
Nº Of.: A-651 - Iic.: C.S.M.L. - Registo: Faro, 1935
Arqueação: Tab 171,77 tons - Tal 124,60 tons - Porte 280 tons
Dimensões: Ff 40,20 mt - Pp 34,36 mt - Bc 8,53 mt - Ptl 3,21 mt
Máquina: Skandia, 1935 > 1:Sd > 130 Bhp > Veloc. 6 m/h
- - - - - - - - - - - -
ex lugre “Amizade”, Soc. Pesca Amizade, Lda., 1921-1935
Nº Of.: A-280 - Iic.: H.A.M.I. - Registo: Figueira da Foz, 1921
Arqueação: Tab 170,16 tons - Tal 127,33 tons
Dimensões: Pp 33,26 mts - Boca 8,53 mts - Pontal 3,22 mts

O naufrágio do “Amisade Primeiro”, ao largo de Cadiz
Sabe-se que a tripulação do lugre-motor “Amisade Primeiro”, que se afundou ao largo de Cadiz, lutou aflitivamente com o incêndio, que se manifestou a bordo. O navio tinha saído, há dias, de Setúbal, para Gibraltar e Tanger, para onde transportava petróleo e cimento.
Os tripulantes, que se encontram salvos, muito embora tenham perdido os seus haveres, são: João Tavares, mestre, natural de Faro; Rui Rocha, motorista, de Setúbal; José Campina, ajudante de motorista, de Lisboa; Máximo Raul, José Nobre e Jaime Fundador, marinheiros, todos de Faro; Augusto Gonçalves S. João, moço, de Viana do Castelo; Florival Lourenço, moço, de Faro; e João Gonçalves Pinto, cozinheiro, também de Viana do Castelo.
Os náufragos são esperados por estes dias, em Lisboa, regressando depois às terras das suas naturalidades por via terrestre.
Fonte: Jornal “Comércio do Porto”, quarta-feira, 10 de Outubro de 1951

Alguns dos náufragos do “Amisade Primeiro”,
chegaram ontem a Lisboa
Chegaram ontem a Lisboa, no comboio do Algarve, alguns dos oito náufragos do navio “Amisade Primeiro”, afundado há dias por motivo de uma explosão ao largo de Tarifa. O mestre João da Encarnação Tavares e o motorista Raul declararam que o lugre navegava em direcção a Gibraltar, junto à costa espanhola, quando, na noite de 4, se manifestou forte temporal no Estreito. Para esgotar a água que entrava nos porões do navio, foram postos a trabalhar todos os tripulantes.
Como os homens estivessem fatigados, o mestre ordenou que se aprestasse uma bomba, para o que foi necessário pôr em andamento o motor auxiliar. Foi no momento em que um dos tripulantes aquecia o motor, com o emprego de um maçarico, que se deu a explosão ateando-se rápidamente o fogo desde a ré até à vante do navio.
Sem que houvesse tempo de salvar fosse o que fosse, os tripulantes recolheram-se numa baleeira e andaram cerca de 5 horas, à vista da costa espanhola, vendo passar alguns navios e um avião, mas sem que, por seu turno, fossem assinalados, pois não dispunham de qualquer sistema de sinalização.
Só de madrugada foram avistados e recolhidos pela traineira espanhola “Joven Victoria”, que os levou para Espanha, donde agora vieram para Lisboa, tendo ficado em várias terras do Algarve os que dali são naturais. O mestre João Tavares ainda apresenta alguns ferimentos.
Fonte: Jornal “Comércio do Porto”, sábado, 13 de Outubro de 1951

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

A renovação to "titan" do molhe sul de Leixões


Projecto “Titan – O renascer”
Tendo por base o lançamento da primeira pedra do paredão de abrigo do molhe norte, em 23 de Julho de de 1884, é de certa forma admissível considerar, que os guindastes (titãs) utilizados na construção dos molhes, que deram origem ao porto de Leixões, já pudessem ter chegado da oficina francesa, para entrega ao adjucatário da obra, srs. Dauderni, Duparchy & Cª., pela firma construtora, a Fives, de Lille. Estes guindastes, autênticos monstros de ferro, com pesos na ordem das 365 toneladas, tinham como se depreende um grande poder, estando preparados tanto para erguer zorras carregadas de material, como enormes blocos de granito com cerca de 50 toneladas. Terminada a construção dos molhes, coube ao sr. Engenheiro Tomás da Costa, director da 2.ª Circunscrição Hidráulica, tomar posse definitiva para o Estado, na sexta-feira, dia 29 de Março de 1895, por delegação do Governo, do porto de Leixões, terrenos anexos, linha férrea de Leixões às pedreiras de S. Gens, e de todo o material de construção que a empresa construtora do porto tinha obrigação de entregar ao Governo, no final do contrato em vigor. O Governo, nessa ocasião, para liquidação da empreitada, que orçou em 4.489 contos, pagou o restante do valor em dívida no montante de 200:000$000 réis.
Imagem do titan - Foto Alvão, Porto
Todo esse dinheiro, que o tempo provou ter sido bem gasto, serviu, segundo notícias da época, para construir 1.147,95 metros de molhe do lado sul e 1.579,47 metros do lado norte, mantendo uma distância de 1.100 metros entre os grandes alinhamentos paralelos dos dois paredões e um espaço de 220 metros entre as cabeças dos molhes, avançando o molhe norte 150 metros mais que o do sul, com farolins nas cabeças, simpáticamente oferecidos pelo jornal “Comércio do Porto”. Deve ainda ser salientado que, para além da extraordinária importância que os titãs tiveram na construção dos molhes, foram ainda durante muitos anos de extrema utilidade na reparação dos paredões, sempre que a implacável força do mar, durante várias situações de forte temporal, deslocava os blocos de pedra, abrindo buracos de considerável dimensão.
Em 12 de Abril de 2012, a Administração do Porto decididiu recuperar o titã, que é desde sempre um ex-libris da cidade, mas para tanto revelava-se indispensável ser desmontado, para permitir dar continuidade aos trabalhos. Porém, como a operação não correu de modo satisfatório, provocando-lhe a queda, o velho titã ficou completamente desconjuntado, permanecendo guardado peça por peça, na área portuária à espera de melhores dias. Dias esses que chegaram, no dia 27 de Novembro de 2019, após o anúncio por parte da Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, com a apresentação do projecto “Titan – o Renascer”, que visava dar início a diversos programas educativos e culturais, dinamizados pela empresa. O referido projecto que propunha o restauro do icónico guindaste, foi adjudicado à empresa Macwide, ficando o conjunto do investimento infraestrutural e de programação, orçado em cerca de Eur. 2 milhões, possibilitando a visita à infraestrutura, contando, ainda, com um programa que envolve toda a comunidade escolar e artística da região.
O anúncio do restauro do titã, que julgamos há muito aguardado, é de opinião do presidente da APDL, engº Nuno Araújo, ser da maior importância para «devolver à cidade de Matosinhos e a todo o seu litoral aquela que é uma memória paisagística da nossa costa. O valor patrimonial do Titan é inegável e, por isso, será visitável por todos num percurso que se pretende que integre os passeios das famílias, as visitas das escolas e as rotas dos turistas».
Os trabalhos de restauro estavam pensados terminar no Verão de 2020, tarefa que as contingências provocadas pela pandemia lamentavelmente não o permitiram. Porém, porque ultimamente foram levantadas restrições, os trabalhos continuaram em bom ritmo, pelo que se espera a curto prazo a sua conclusão. - Julho, 2021

O novo «titan» do molhe Sul de Leixões
O novo, velho titan, regressou finalmente ao local onde sempre esteve, para ser visto e admirado pelos habitantes da cidade de Matosinhos, do Porto, e de outras cidades cuja proximidade poderá motivar as pessoas a um pouco habitual passeio de fim de semana.
Em clara oposição ao que se pensava inicialmente, toda a estrutura metálica que compõe o esqueleto do guindaste foi construída de raiz, devido ao mau estado de conservação em que se encontrava o original. Porém, muitas das peças nas quais se inclui a maquinaria, tais como o sistema de vapor, receberam tratamento adequado, sendo devidamente reinstaladas.
A inauguração oficial
Para a administração portuária, a recuperação do "titã" subjacente ao projecto “O Renascer”, revelou-se obrigatório devolver uma parte importantíssima do património, em função das características, da história, e fundamentalmente pelo trabalho realizado na construção dos molhes.
Para a autarquia, a localização previligiada do guindaste, repõe no seu devido lugar um dos ex-líbris do município, recuperada que fica a memória paisagística da costa.
A inauguração oficial ocorreu dois dias antes da data dos dias designados, para consagrar com notoriedade a 12ª celebração do Dia do porto de Leixões. Primeiro a imprensa teve oportunidade de visitar o titan, a quem foi fornecido detalhados pormenores da sua fulcral e imprescindível utilidade, e durante a tarde foi oficializada a cerimónia da inauguração, presidida pelo ministro Pedro Nuno Santos, responsável pelas Infraestruturas e Habitação, e ainda pela presidente do município, Drª. Luísa Salgueiro.
Após uma eloquente explicação sobre os trabalhos realizados na construção do titan, pelo historiador Dr. Joel Cleto, para uma agradável plateia de convidados, usaram da palavra o presidente da Administração dos portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, a autarca matosinhense e o ministro Pedro Santos. Depois de acalorados discursos, as autoridades e convidados tiveram então a oportunidade de visitar o titan, tecendo rasgados elogios de vária ordem.

Dias 9 e 10 de Outubro - Os dias do porto de Leixões
Se a iniciativa visava trazer a população à área portuária, propiciando visitas ao titan e à estação de passageiros, o objectivo foi muito além das melhores espectativas. Durante o dia de sábado foram organizadas visitas guiadas e livres, entre as 14 e as 19 horas, e no Domingo foi ainda alargado o horário das visitas, a partir das 10 horas da manhã, até às 5 horas da tarde.
Dentro de leque das diversas actividades que constavam no programa de sábado, às 15 horas foi inaugurada a Exposição de Fotografia Sentir… Mais do que um porto!, a que se seguiu a entrega de prémios do referido concurso de fotografias. Meia hora depois, foi também feita a entrega do Prémio Escolar da APDL aos Melhores Alunos do Concelho de Matosinhos, e pelas 16 horas houve quem se tivesse deliciado com a Orquestra Jazz de Matosinhos, que preparou para o evento "Uma viagem pelos tempos do JAZZ".
Por sua vez no Domingo, foi possível apreciar as exposições “TITAN na Arte”, que reuniu obras das coleções da Câmara de Matosinhos e da APDL, e ainda um conjunto de pinturas sob o pretexto “1885/2021-TITAN”, assinadas pelo artista plástico Sobral Centeno.
Todos os trabalhos estavam e vão continuar expostos e abertos ao público, fazendo igualmente parte uma colecção de fotografias sobre “O Renascer do TITAN”, de Sérgio Jacques, um vídeo de Luis Morais documentando as diferentes fases da reconstrução do TITAN, e ainda, o trabalho “TITAN. O Renascer”, que será a partir de agora uma exposição itinerante sobre a história do TITAN e a origem do Porto de Leixões. - Outubro, 1922

quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Leixões na rota do turismo!


Navios em porto, na primeira quinzena de Outubro

No dia 3, o navio de passageiros "Marina"
Características
Armador: Oceania Cruises Inc., Doral, FL, EUA
Nº Oficial: 3668 - Iic: V.7.S.K.2. - Registo: Majuro, Ilhas Marshall
Construtor: Sestri Cant. Nav. SpA, Genova, Itália, 2011
Arqueação: Tab 66.084,00 tons - Tal 29.151,00 tons
Dimensões: Ff 239,30 mt - Pp 213,36 mt - Bc 32,20 mt - Ptl 37,07 mt
Propulsão: 57.104 hp, 500.00 rpm - 2 hélices FP, 140 rpm - 22 nós
Equipagem: 780 tripulantes
Chegou procedente de Villagarcia, saiu com destino a Lisboa

No dia 4, o navio de passageiros "Seaventure"
Características
Armador: RSR Nemo Ship Management Ltd., Limassol, Chipre
Nº Oficial: 81000 - Iic: 5.B.P.T.5. - Registo: Limassol, Chipre
Construtor: Mitsubishi Shipbuilding Co. Ltd., Kobe, Japão, 1990
ex “Frontier Spirit” 1990/1993 e ex “Bremen” 1993/2020
Arqueação: Tab 6.752,00 tons - Tal 2.073,00 tons
Dimensões: Ff 111,51 mt - Pp 98,00 mt - Bc 17,25 mt - Ptl 11,90 mt
Propulsão: 2xDaihatsu 8DKM-32L, 6.600 hp, 720 rpm - 2 hélices CP
Equipagem: 94 tripulantes
Chegou procedente da Corunha, saiu com destino Lisboa

No dia 6, o navio de passageiros "Europa"
Características
Armador: TUI A.G., Hannover, Alemanha
Nº Oficial: 9183855 - Iic: 9.H.A.5.2.7.5. - Registo: La Valleta, Malta
Construtor: Kvaerner Masa-Yards Inc., Helsínquia, Finlandia, 1999
Arqueação: Tab 28.890,00 tons - Tal 9.205,00 tons
Dimensões: Ff 198,60 mt - Pp 179,86 mt - Bc 24,00 mt - Ptl 18,00 mt
Propulsão: 29.366 hp, 550 rpm - 2 hélices Azimuteis, - 21 nós
Equipagem: 245 tripulantes
Chegou procedente de St. Malô, saiu com destino a Lisboa

No dia 9, o navio de passageiros "Hanseatic Venture"
Características
Armador: Preussag GmbH IX, Hannover, Alemanha
Nº Oficial: 7001218 - Iic: C.6.E.D.6. - Registo: Nassau, Bahamas
Construtor: Vard Langsten, Tomrefjord, Noruega, 2019
Casco construído em Tulcea, Roménia
Arqueação: Tab 15.651,00 - Tal 4.707,00 tons
Dimensões: Ff 139,00 mt - Pp 128,84 mt - Bc 22,28 mt - Ptl 7,75 mt
Propulsão: 11.200 kW (15.228 hp), 750 rpm - 2 hélices FP
Equipagem: 170 tripulantes
Chegou procedente de Santander, saiu com destino a P. Delgada