segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Navios e Navegadores


3º Aniversário

À passagem de mais um aniversário do blog, opto por lembrar um dos grandes paquetes de todos os tempos. Pelo seu extraordinário luxo interior, pela oferta de delícias gastronómicas diversificadas e de grande qualidade, pela rapidez com que conseguia unir os continentes Europeu (Le Havre) ao Americano (Nova Iorque), tendo sido baptizado com o nome da cidade luz.

“ Paris “
1921 - 1939
Compangnie Général Transatlantique, Le Havre, França

Paquete "Paris" - foto de autor desconhecido
Imagem de Photoship.Uk

Cttor. : Chantiers & Ateliers de St. Nazaire, França, 1921
Arqueação : Tab 34.569,00 tons > Tal 15.333,00 tons
Dimensões: PP 224,15 mts > Boca 26,00 mts > Pontal 18,01 mts
Máq.: Penhoet, St. Nazaire, 1920 > 4:Tv
Equipagem : 664 tripulantes

O "Paris" em postal da Companhia
Imagem Photoship.Uk

A construção iniciada em 1913, foi suspensa até Agosto de 1914, época que marca a retomar dos trabalhos. Entretanto, o casco foi lançado à água em 1916 e levado a reboque para a Baía de Quiberon, onde permaneceu até à decisão de fazê-lo regressar a Saint Nazaire, depois de terminada a guerra, para então ser possível terminá-lo. Recomeçado o ultimar da construção, muito demorada devido às varias paralisações, levou a que a máquina inicialmente prevista fosse substituída por turbinas a vapor, pelo que a combinação comprimento, muito embora não excessivo, tamanho e excelente performance tivessem produzido um navio impar e por conseguinte sem equivalente, que tivesse pertencido a qualquer das empresas concorrentes.
Muito poucos navios provaram ter resultado num fantástico êxito e almejado um tão avassalador sucesso no investimento. Dispunha de 94 cabines de luxo e uma não menos luxuosa primeira classe com acomodações para 468 passageiros, assinalando ano após ano uma pequena percentagem de desocupação, jamais igualada pelos outros paquetes. A segunda e a terceira classes acomodavam 464 e 2.210 passageiros, obviamente em condições menos sumptuosas, mas mesmo assim repletas de pleno conforto.

Foto de autor desconhecido sobre o incêndio
a bordo do "Paris" no porto do Havre
Imagem Photoship.Uk

Vitima de um primeiro incêndio com origem nos camarotes dos passageiros, quando atracado no porto de Saint Nazaire em Agosto de 1929, foi possível a sua reconstrução num período de 5 meses, contudo durante o ataque a um segundo incêndio de grandes proporções no porto do Havre a 19 de Abril de 1939, entrou em desequilibro, adornando e ficando parcialmente submerso. Tinha chegado o fim do paquete mais ousado e lucrativo do seu tempo.

2 comentários:

J.Leite disse...

Muitos parabéns, por mais um aniversário deste excelente blogue, que sigo regularmente.

Cumprimentos
J.Leite

Rui Amaro disse...

Reinaldo
Parabéns por mais um ano do teu sempre excelente e infotmstivo NAVIOS E NAVEGADORES, e continua enfrente.
Saudações maritimo-entusiásticas
Rui Amaro